Cuidados básicos com as Plantas Aquáticas

By • Nov 5th, 2009 • Category: Plantas Aquáticas

Vou tratar nesse tópico dos cuidados necessários para manter as plantas aquáticas bonitas e em boas condições; não entrarei em detalhes quanto à espécie das mesmas, dando uma abordagem generalizada ao assunto.

Apesar de as plantas, assim como os peixes, poderem sobreviver em condições bastante variadas de pH e temperatura, eu recomendo a escolha de plantas originárias de locais com condições parecidas com o aquário no qual serão plantadas. Plantas de água fria certamente vão “pegar” mais fácil e se desenvolver melhor em aquário sem aquecimento, enquanto que plantas de locais quentes preferem um aquário tropical. Para descrições de espécies de plantas e suas condições ideais, eu recomendo o livro de Gastão Botelho – “Plantas aquáticas para aquário”, da editora Nobel.

Em um aquário aonde se pretende manter plantas, é aconselhável o uso de um cascalho de granulação média, aonde as plantas vão conseguir enraizar com facilidade penetrando no cascalho, e por outro lado não vão se soltar facilmente. Algumas pessoas dizem que as plantas aquáticas não vão muito bem em aquário com filtro biológico, mas eu desconsidero essa afirmação pois utilizo esse filtro em todos os meus aquários e as plantas se desenvolvem muito bem; a única recomendação a esse respeito é a de não ter uma camada de cascalho muito fina, pois nesse caso as plantas certamente sofrerão com o fluxo de água.

É muito mais simples plantar o aquário logo na montagem, antes da colocação dos peixes, do que quando os peixes já estão habitando o aquário, já que estes podem ter o hábito de arrancar as plantas, ou simplesmente desplanta-lás por nadar muito perto. Cuidado, as plantas são tão sensíveis ao cloro quanto os peixes, por isso espere o cloro evaporar antes de plantar.

Para facilitar a tarefa de plantar, não deixe o aquário completamente cheio para não vazar água ao colocar as mãos. As plantas devem ser limpas antes de plantadas, sendo removidas as folhas mortas e muito feias, o excesso de raízes (deixando apenas uns 2 centímetros), e as folhas da parte inferior do caule, especialmente nas plantas que ainda não têm raízes. Eu acho mais fácil plantar com as mãos, envolvendo com os dedos a parte que vai ser enterrada, e cavocando no cascalho com cuidado, enterrando a planta ao mesmo tempo. Não devem ser enterradas folhas junto com o caule ou raiz, pois estas apodrecerão submersas, comprometendo a planta.

Depois de tudo pronto, as plantas devem ser deixadas no aquário sem peixes por no mínimo uma semana, para que elas comecem a enraizar. No caso do aquário já ter peixes e estar sendo plantado, a tarefa é mais difícil pelso motivos explicados acima. Em alguns casos, para não incomodar muito os peixes, é recomendável o uso de plantadores, que parecem pinças bem grandes. Para que as plantas se fixem mais rápido, pode ser usado algum produto enaizante, enterrado junto com a planta. Produtos desse tipo são encontrados nas lojas de peixes (não usar produtos de floriculturas ou lojas de jardinagem), sendo que eu uso o enraizante da marca Tetra.

Depois que as plantas enraizam, a manutenção é simples, não sendo obrigatório o uso de nenhum fertilizante. O básico é remover as folhas mortas cuidadosamente para não machucar a planta, e cortar um pouco quando ela crescer muito. Como as plantas são muito afetadas pelos níveis altos de nitrato, chegando a cessar completamente o crescimento em níveis muito altos, as trocas de água ajudam muito no crescimento, chegando até a revigorar as plantas.

Quanto a adubação, ela não é necessária, mas em pequenas quantidades pode ajudar as plantas, suprindo a água com micro e macroelementos em deficiência, fazendo com que as plantas cresçam mais, e fiquem mais bonitas. Eu uso o FloraPride da Tetra, mas qualquer adubo específico para plantas aquáticas pode ser usado. Minha única recomendação é de usar uma dose 4 vezes menor do que a recomendada nas instruções, e usar raramente. Isso porque a melhor dosagem pode ser diferente em cada caso, de forma que usando pequenas quantidades, fica mais fácil controlar se for necessário usar um pouco mais de fertilizante.

Caramujos comedores de algas, como este do gênero Physa, podem ser de grande ajuda para a limpeza das folhas das plantas, e não são de forma alguma prejudiciais aos peixes do aquário. Por outro lado, existem caramujos que são comedores de plantas, e não apenas das algas, e estes sim devem ser elimidados do aquário.

Misturar plantas naturais com plantas artificias pode dar um efeito bastante bonito, e ajudar as plantas artificiais a parecerem mais naturais. Nessa foto, a planta em primeiro plano é uma planta de ambiente muito úmido, mas não aquática, a qual minha mãe chama de “gibóia”.

Essa foto é de uma planta de folhas bem duras, que eu comprei como sendo uma Mycrophyllum sp, mas que acredito ser uma Microsorium pteropus. De acordo com a descrição que eu encontrei, é uma planta que gosta de pouco iluminação, e que prefere água temperada. Por ter folhas bem duras, os peixes que se atraem muito por ela como comida.

Essa planta, que eu acredito que seja do gênero Echinodorus, se deu muito bem em um aquário de kyngyos que eu mantenho. Toda vez que eu troco água nesse aquário, ela dá uma crescidinha, parecendo ser uma grande beneficiada pelas trocas de água, com a consequente redução dos níveis de nitrato.

Leave Comment