Categories
Plantas Aquáticas

Plantas Altas de Fundo

Nessa última série de tipos de plantas, iremos apresentar algumas variações que possuem um crescimento rápido e que atingem grande tamanho. Por esses motivos essa variedade de plantas é altamente recomendado que sejam dispostas no fundo do aquário.

Muitos aquaristas cometem o erro, talves por não conhecerem ou não lerem o nosso site (risos) de durante a compra não ter conhecimento dessas diferenças e acabam colocando plantas de alto porte por todo o aquário. Eventualmente as plantas irão crescer e começam a bloquear a visão do público para dentro do aquário.

Vallisneria spiralis
Origem Ásia
Tamanho 30 a 55cm
Luz Baixa a elevada
Temperatura 15 a 30ºC
Dureza Macia a dura
pH 6 a 9
Crescimento Rápido
Exigência Fácil

_____________________________________________________________________

Cabomba caroliniana
Origem América do Sul
Tamanho 30 a 80cm
Luz Média a elevada
Temperatura 16 a 26ºC
Dureza Macia a dura
pH 4 a 7
Crescimento Rápido
Exigência Média
Categories
Plantas Aquáticas

Plantas Aquáticas de Médio Porte

Agora iremos relacionar algumas espécies de plantas que são de crescimento médio. Essas normalmente são adequadas para aquários de no minimo 80 litros, e não devem ser plantadas na frente do tanque. São ótimas como abrigo para os peixes de fundo assim como são de fácil adaptação e manutenção.

Echinodorus bleheri

Amazonense

Origem América do Sul
Tamanho 20 a 50cm
Luz Baixa a elevada
Temperatura 20 a 30ºC
Dureza Macia a Dura
pH 5.5 a 9
Crescimento Rápido
Exigência Fácil

____________________________________________________________________

Hygrophila difformis
Origem Ásia
Tamanho 20 a 50cm
Luz Média a elevada
Temperatura 22 a 30ºC
Dureza Macia a dura
pH 5 a 9
Crescimento Rápido
Exigência Fácil

______________________________________________________________________

Microsorum pteropus

Feto de Java

Origem Ásia
Tamanho 15 a 30cm
Luz Baixa a elevada
Temperatura 18 a 30ºC
Dureza Macia a dura
pH 5 a 8
Crescimento Lento
Exigência Fácil

[ad]

Categories
Plantas Aquáticas

Plantas Frontais para Aquários de Água Doce

Segue abaixo uma pequena lista de plantas aquáticas que são recomendadas para serem colocadas na parte fronteira dos aquários de água doce. Essas plantas possuem um crescimento e aparencia adequados para serem adicionadas no solo localizado proximo a area de visão do tanque.

Além de serem plantas muito lindas, elas também ajudam na filtragem e controle biológico do aquário, além de possuirem fácil manutenção.

Lilaeopsis brasiliensis
Origem América do Sul
Tamanho 4 a 7cm
Luz Elevada
Temperatura 15 a 26ºC
Dureza Macia a dura
pH 6 a 8
Crescimento Lento
Exigência Difícil

_____________________________________________________________________

Vesicularia dubyana

Musgo de Java

Origem Sudeste da Ásia
Tamanho Variável
Luz Baixa a elevada
Temperatura 15 a 28ºC
Dureza Macia a dura
pH 5 a 9
Crescimento Lento
Exigência Fácil

___________________________________________________________________________________

Cryptocoryne willisii
Origem Sri Lanka
Tamanho 7 a 20cm
Luz Média
Temperatura 20 a 30ºC
Dureza Macia a dura
pH 5.5 a 8
Crescimento Lento
Exigência Fácil

[ad]

Categories
Plantas Aquáticas

Execesso de Algas no Aquário

E quando a água fica verde, o que podemos fazer? Eu não estou falando dos vidros, mas da água mesmo, como se fosse uma sopa de vegetais. Esse fenômeno é comum em tanques ao ar livre, em aquários expostos ao sol e, em menor intensidade, em aquários em geral. Grande parte da solução para o problema certamente está na avaliação das possíveis causas, e no seu combate. A equação básica para a “sopa de algas” é:

LUZ + NUTRIENTES = ALGAS

Daí, diminuir a alimentação pode ajudar a combater ou prevenir o problema das algas. O ideal seria planejar a colocação do tanque externo em local sombreado, mas se o tanque já está em local muito iluminado, pode ser sombreado se for parcialmente rodeado por plantas a seu redor, para cobrir parte da luz.

Aquário com Excesso de Algas

E os nutrientes? O melhor adubo para as algas é a própria sujeira dos peixes, então, diminuir o número de peixes e / ou a quantidade de alimento é fundamental.

Melhorar a limpeza e a filtragem de um tanque ou aquário é outro passo para evitar e combater problemas com algas a curto e longo prazo. Uma boa rotina de manutenção, com trocas de água e limpeza dos filtros mais frequente é importante; a sujeira retida nos filtros está disponível para as algas, para que ela não se transforme em nutriente, é preciso retirá-la.

Em um aquário, as plantas aquáticas competem com as algas pelos mesmos nutrientes. Um dos segredos dos aquários holandeses, aqueles que parecem florestas de plantas, é colocar tantas plantas no aquário, em cada lugarzinho aonde couber mais uma muda, para que as plantas consumam tantos nutrientes, que não deixem nada disponível para as algas.

E quanto aos produtos químicos desenvolvidos para combater as algas? Bom, em aquários ou tanques que apresentam constantemente problemas com algas, o uso de algicidas como preventivo ou tratamento´pode ser indicado. Em aquários, o uso de algicida para combater um “bloom” (explosão) de algas deve ser seguido por uma troca parcial de água, que pode chegar até 50 % do volume do aquário, e pela colocação de uma dosagem ´preventiva do algicida usado no aquário.

Em tanques externos, com um sistema de filtragem definido, a instalação de um esterilizador UV bem dimensionado para o volume do tanque pode ser uma excelente solução definitiva para o problema.

[ad]

Categories
Plantas Aquáticas

Cuidados básicos com as Plantas Aquáticas

Vou tratar nesse tópico dos cuidados necessários para manter as plantas aquáticas bonitas e em boas condições; não entrarei em detalhes quanto à espécie das mesmas, dando uma abordagem generalizada ao assunto.

Apesar de as plantas, assim como os peixes, poderem sobreviver em condições bastante variadas de pH e temperatura, eu recomendo a escolha de plantas originárias de locais com condições parecidas com o aquário no qual serão plantadas. Plantas de água fria certamente vão “pegar” mais fácil e se desenvolver melhor em aquário sem aquecimento, enquanto que plantas de locais quentes preferem um aquário tropical. Para descrições de espécies de plantas e suas condições ideais, eu recomendo o livro de Gastão Botelho – “Plantas aquáticas para aquário”, da editora Nobel.

Em um aquário aonde se pretende manter plantas, é aconselhável o uso de um cascalho de granulação média, aonde as plantas vão conseguir enraizar com facilidade penetrando no cascalho, e por outro lado não vão se soltar facilmente. Algumas pessoas dizem que as plantas aquáticas não vão muito bem em aquário com filtro biológico, mas eu desconsidero essa afirmação pois utilizo esse filtro em todos os meus aquários e as plantas se desenvolvem muito bem; a única recomendação a esse respeito é a de não ter uma camada de cascalho muito fina, pois nesse caso as plantas certamente sofrerão com o fluxo de água.

É muito mais simples plantar o aquário logo na montagem, antes da colocação dos peixes, do que quando os peixes já estão habitando o aquário, já que estes podem ter o hábito de arrancar as plantas, ou simplesmente desplanta-lás por nadar muito perto. Cuidado, as plantas são tão sensíveis ao cloro quanto os peixes, por isso espere o cloro evaporar antes de plantar.

Para facilitar a tarefa de plantar, não deixe o aquário completamente cheio para não vazar água ao colocar as mãos. As plantas devem ser limpas antes de plantadas, sendo removidas as folhas mortas e muito feias, o excesso de raízes (deixando apenas uns 2 centímetros), e as folhas da parte inferior do caule, especialmente nas plantas que ainda não têm raízes. Eu acho mais fácil plantar com as mãos, envolvendo com os dedos a parte que vai ser enterrada, e cavocando no cascalho com cuidado, enterrando a planta ao mesmo tempo. Não devem ser enterradas folhas junto com o caule ou raiz, pois estas apodrecerão submersas, comprometendo a planta.

Depois de tudo pronto, as plantas devem ser deixadas no aquário sem peixes por no mínimo uma semana, para que elas comecem a enraizar. No caso do aquário já ter peixes e estar sendo plantado, a tarefa é mais difícil pelso motivos explicados acima. Em alguns casos, para não incomodar muito os peixes, é recomendável o uso de plantadores, que parecem pinças bem grandes. Para que as plantas se fixem mais rápido, pode ser usado algum produto enaizante, enterrado junto com a planta. Produtos desse tipo são encontrados nas lojas de peixes (não usar produtos de floriculturas ou lojas de jardinagem), sendo que eu uso o enraizante da marca Tetra.

Depois que as plantas enraizam, a manutenção é simples, não sendo obrigatório o uso de nenhum fertilizante. O básico é remover as folhas mortas cuidadosamente para não machucar a planta, e cortar um pouco quando ela crescer muito. Como as plantas são muito afetadas pelos níveis altos de nitrato, chegando a cessar completamente o crescimento em níveis muito altos, as trocas de água ajudam muito no crescimento, chegando até a revigorar as plantas.

Quanto a adubação, ela não é necessária, mas em pequenas quantidades pode ajudar as plantas, suprindo a água com micro e macroelementos em deficiência, fazendo com que as plantas cresçam mais, e fiquem mais bonitas. Eu uso o FloraPride da Tetra, mas qualquer adubo específico para plantas aquáticas pode ser usado. Minha única recomendação é de usar uma dose 4 vezes menor do que a recomendada nas instruções, e usar raramente. Isso porque a melhor dosagem pode ser diferente em cada caso, de forma que usando pequenas quantidades, fica mais fácil controlar se for necessário usar um pouco mais de fertilizante.

Caramujos comedores de algas, como este do gênero Physa, podem ser de grande ajuda para a limpeza das folhas das plantas, e não são de forma alguma prejudiciais aos peixes do aquário. Por outro lado, existem caramujos que são comedores de plantas, e não apenas das algas, e estes sim devem ser elimidados do aquário.

Misturar plantas naturais com plantas artificias pode dar um efeito bastante bonito, e ajudar as plantas artificiais a parecerem mais naturais. Nessa foto, a planta em primeiro plano é uma planta de ambiente muito úmido, mas não aquática, a qual minha mãe chama de “gibóia”.

Essa foto é de uma planta de folhas bem duras, que eu comprei como sendo uma Mycrophyllum sp, mas que acredito ser uma Microsorium pteropus. De acordo com a descrição que eu encontrei, é uma planta que gosta de pouco iluminação, e que prefere água temperada. Por ter folhas bem duras, os peixes que se atraem muito por ela como comida.

Essa planta, que eu acredito que seja do gênero Echinodorus, se deu muito bem em um aquário de kyngyos que eu mantenho. Toda vez que eu troco água nesse aquário, ela dá uma crescidinha, parecendo ser uma grande beneficiada pelas trocas de água, com a consequente redução dos níveis de nitrato.

[ad]

Categories
Plantas Aquáticas

Aquário de Água Doce com Plantas

Planta Aquática

Todos nós sabemos que grande parte da beleza de um aquário de água doce não são somente os peixes. Na verdade, existem muitos aquaristas que possuem tanques imensos com praticamente uma quantidade limitada de peixes, onde todo o ênfase da beleza é dada as plantas aquáticas, trocos mortos e rochas.

Num aquário com várias plantas o meio ambiente aquático é reproduzido com muito mais qualidade que se reflete tanto na água quanto na qualidade de vida dos peixes ornamentais. As plantas não só embelezam como também exercem um grande papel em dar proteção aos peixes que se sentem ameaçados, e abrigo para aqueles animais que vêm a necessidade. Já que algumas espécies possuem um comportamento diferenciado, o qual necessita um tanque rico em plantas.

Na parte técnica, basicamente devemos nos concentrar na iluminação, filtragem e aquecimento.

A iluminação é parte fundamental no bom desenvolvimento da vida marinha, sem ela as plantas não cresceram como esperado, podendo vir até a morrer e consequentemente contaminar a água do aquário. Um aquário ornamental que recebe um pouco de luz natural é sempre bem vindo, porém é preciso cuidar que o execesso de luz juntamente com o execesso de nutrientes na água não venha a criar algas e musco aquático que nesse caso não são bem vindos.

Entre 8 à 10 horas de luz por dia é o recomendado para o aquário. Hoje em dia existem diversos filtros que já são construidos para um aquário com bastate plantas, entre eles alguns importados possuem até um injetor de CO2. O CO2 é para as plantas como o oxigênio é para a vida animal. Uma boa quantidade de CO2 na água ira proporcionar plantas mais saúdaveis e aumentar o seu crescimento. No nosso site, existe um tutorial de como contruir um injetor de CO2 caso queira, com um custo super baixo.

Com relação a fixação das plantas, um substrato natural de terra adubada que não possua chumbo ou qualquer agrotóxico são um bom começo. A terra pode ser colocada no fundo e no topo uma camada de cascalho de 3 a 6 mm já é o suficiente para o bom crescimento das plantas.

Lembre-se também que como sua planta de jardim, a do seu aquário também requer poda, ja que o execesso também pode ser prejudicial tanto para os peixes como estéticamente.

[ad]

Categories
Plantas Aquáticas

Tabela de Plantas Ornamentais

As plantas aquáticas desta lista são usadas para a prática do aquarismo. Elas estão relacionadas alfabeticamente pelo no nome científico em cada família botânica e com o nome comercial entre parênteses.

Apiaceae
Lilaeopsis brasiliensis (Glaz.) Affolter (Gramínea)
Hydrocotyle leucocephala Cham. & Schltdl.
Hydrocotyle verticillata Thunb.

Aponogetonaceae
Aponogeton madagascariensis (Mirb.) H.W.E.van Bruggen

Araceae
Anubias afzelii Schott
Anubias barteri Schott
Anubias hastifolia
Anubias barteri var. nana Engl.
Cryptocoryne beckettii
Cryptocoryne ciliata
Cryptocoryne crispatula
Cryptocoryne gomezii
Cryptocoryne lingua
Cryptocoryne retrospiralis
Cryptocoryne spiralis
Cryptocoryne undulata A.Wendt
Cryptocoryne wendtii de Wit
Cryptocoryne willisii Hort. ex A.Chev.

Brassicaceae
Cardamine lyrata Bunge (Trepadeira Chinesa)

Campanulaceae
Lobelia cardinalis L.

Cabombaceae
Cabomba caroliniana A.Gray (Cabomba Verde)

Cyperaceae
Cyperus helferi Boeckeler
Eleocharis parvula Palla

Droseraceae
Aldrovanda vesiculosa L.

Eriocaulaceae
Tonina sp.

Haloragaceae
Myriophyllum aquaticum (Vell.) Verdc.
Myriophyllum hippuroides Nutt. ex Torr. & Gray
Myriophyllum matogrossensis
Proserpinaca palustris L. (Erva-sereia)

Hydrocharitaceae
Blyxa echinosperma Hook.f.
Blyxa japonica Maxim. ex Aschers.et Gurke
Egeria densa Planch. (Elódea)
Limnobium laevigatum (Humb. & Bonpl. ex Willd.) Heine
Vallisneria spiralis var. tortissima L. (Valisnéria Saca-rolha)

Hypnaceae
Vesicularia dubyana (Java Moss)

Lamiaceae
Eusteralis stellata (Lour.) Panigrahi

Lythraceae
Ammannia gracilis Guill. & Perr. (Amânia Rosada)
Didiplis diandra Wood
Rotala sp. “Nanjenshan” (Mayaca sellowiana Kunth)
Rotala macrandra Koehne
Rotala rotundifolia Koehne
Rotala wallichii Koehne

Mayacaceae
Mayaca fluviatilis Aubl.

Menyanthaceae
Nymphoides aquatica Kuntze

Najadaceae
Potamogeton gayii A.Bennett

Nymphaeaceae
Barclaya longifolia Wall.
Nymphaea stellata Willd.

Onagraceae
Ludwigia arcuata Walter
Ludwigia glandulosa
Ludwigia inclinata
Ludwigia mullertii
Ludwigia ovalis
Ludwigia repens
Ludwigia repens x arcuata

Piperaceae
Saururus cernuus L. (Rabo de Lagarto)

Pontederiaceae
Eichhornia azurea Kunth
Heteranthera zosterifolia (Stargrass)

Primulaceae
Lysimachia nummularia L.
Samolus parviflorus Raf.

Pteridophyta
Ceratopteris thalictroides (L.) Brongn.
Salvinia auriculata Aubl.

Ricciaceae
‘Meiryccia fluitans

Scrophulariaceae
Bacopa lanigera Wettst. (Bacopa Peluda)
Bacopa monnieri (L.) Pennell (Bacopa Anã)
Glossostigma elatinoides (Benth.) Hook.f.
Limnophila sessiliflora Griff. (Ambulia Anã)
Hemianthus micranthemoides Nutt.
Micranthemum umbrosum (J.F.Gmel.) Blake
Microsorum pteropus (Samambaia de Java)

[ad]