Categories
Curiosidades

Internauta Constrói o Menor Aquário do Mundo

“Eu reponho a água de acordo com a evaporação e troco os alevinos de 15 em 15 dias, pois o recipiente fica pequeno para eles”, conta.auta Fabiano Moreno, 35 anos, afirma ter criado o menor aquário do mundo. Para enchê-lo são necessários apenas 5 ml de água.

Fabiano Moreno nasceu na cidade de Jandaia do Sul, conhecida como “Cidade Simpatia”, no Paraná, mas hoje mora em Assis, interior de São Paulo, a 448 quilômetros da capital. Moreno é apaixonado por peixes, adora montar pequenos aquários e mostra para os internautas do portal gazeta online a sua “arte”.

Para enfeitar a pequena residência dos alevinos, Fabiano utilizou cascalho de rio, pedras, musgo de java e algas. No aquário de 5 ml são colocados alevinos de lebiste e plasti.

Tudo começou no início deste ano, quando ele montou um que precisava apenas de 50 ml de água. “Ficou tão bacana que resolvi fazer outros dois”, lembra. Mas, ao ver uma notícia, em fevereiro deste ano, sobre um artista russo que teria criado o menor aquário do mundo (10 ml), Moreno não resistiu e decidiu investir na quebra do recorde. “Fui e construí um de 15 ml. Não contente, montei um de 8 ml, e, finalmente, alguns de 5 ml”, garante orgulhoso.

Categories
Curiosidades

Classificação de Peixes Aquáticos

Belonteídeos

Também conhecidos por Peixes- Labirinto que devem o seu nome a um órgão especializado localizado na região posterior da cabeça, o labirinto. Com a ajuda deste órgão, estes peixes, que vivem normalmente em águas pobres em oxigénio, conseguem inalar oxigénio do ar. Alguns possuem longos fios nas barbatanas ventrais, que funcionam como órgãos do tacto.

  • Beta (Betta splendens)
  • Peixe Paraíso (Macropodus opercularis)
  • Colisa (Colisa lalia)
  • Gourami- Pérola (Trichogaster leeri)
  • Gourami- Azul (Trichogaster trichopterus sumatranus)

Caracídeos

Os Caracídeos são peixes de cardume e na Natureza vivem em cardumes mistos ou separados. São ágeis e muito coloridos. No entanto, se não puderem gozar da companhia de outros da sua espécie, definham em pouco tempo. O sinal característico desta família é uma pequena barbatana adiposa situada junto da cauda.

  • Néon (Paracheirodon innesi)
  • Tetra Cardinal (Cheirodon axelrodi)
  • Néon – Preto (Hyphessobrycon herbertaxelrodi)
  • Tetra – Limão (Hyphessobrycon pulchripinnis)
  • Olho – de – Fogo (Hemigrammus ocellifer)
  • Tetra Santa Filomena (Moenkhausia santeafilomenae)
  • Tetra – Diamante (Moenkhausia pittieri)
  • Tetra – Imperador (Nematobrycon palmeri)
  • Piranha (Serrasalmus nattereri)
  • Tetra – do – Congo (Phenacogrammus interruptus)

Carpas Vivíparas

As carpas vivíparas são peixes de aquário muito populares. Quase todos os aquariofilistas começaram por este tipo de peixes, pois os exemplares das diversas espécies desta família são bonitos, robustos e gostam de viver em sociedade.

A particularidade mais notável desta espécie reside no facto de ser vivípara: as fêmeas dão à luz peixes completamente formados. pH ideal: 7- 8,5 Dureza da água: 15- 30ºdGH.

  • Gupi (Poecilia reticulata)
  • Molinésia (Poecilia latipinna)
  • Molinésia Negra (Poecilia shenops)
  • Platy (Xiphophorus maculatus)
  • Cauda-de-Espada (Xiphophorus Helleri)

Ciclídeos

De todos os peixes de aquário, os ciclídeos são os que revelam mais “carácter”. Ocupam um território próprio, acasalam de forma duradoura e realizam posturas regulares. Cuidam extremosamente das crias e defendem-nas de possíveis inimigos. As espécies aqui referidas são bastante reservadas e não levantam problemas aos outros peixes de aquário.

  • Escalar (Pterophillum scalare)
  • Disco (Symphysodon discus)
  • Oscar (Astronotus ocellatus)
  • Acará – Azul (Aequidens pulcher)
  • Ramirezi (Papiliochromis ramirezi)
  • Cíclideo – de – Agassiz (Apistogramma agassizi)
  • Ciclídeo Anão (Nannacara anomala)
  • Kribensis (Pelvicachromis pulcher)

Ciprinídeos

Os Barbos, pertencentes à família dos Ciprinídeos, devem o seu nome aos curtos bigodes que estão situados à esquerda e à direita da boca ou sobre os lábios e que funcionam como órgãos do tacto. Graças às suas belas cores e ao seu temperamento desembaraçado, animam de forma extraordinária a vida do aquário.
Não se devem misturar as espécies mais pequenas com as maiores e mais robustas, pois aquelas acabariam por definar. Os Danios, parentes dos barbos, são peixes muito activos de corpo esguio e oriundos de águas com correntes muito rápidas. A boca, virada para cima, indica que se trata de peixes que recolhem os alimentos à superfície da água apesar de, quando estão no aquário, comerem em qualquer nível da água. Estes peixes de cardume reproduzem-se com facilidade mas, tal como acontece com os Barbos, não hesitam em comer os seus próprios ovos.
O género Rasbora é outro grande grupo de peixes pertencentes à família dos Ciprinídeos. Como são muito activos, a maior parte deles são dispersadores de ovos, embora algumas espécies, como o R. heteromorpha, depositem os seus ovos na parte inferior das folhas mais largas das plantas. Devem ser colocados num aquário com muitas plantas e um fundo de cor escura.

Como a família dos Ciprinídeos se encontra praticamente em todo Mundo existe uma grande variedade de espécies. Para além dos Barbos, Rasboras e Danios, existem outras espécies cujas cores, formas e comportamentos as tornam ideias para um aquário.

  • Barbo Tigre (Barbus tetrazona)
  • Barbo Titeia (Barbus titteya)
  • Danio Zebra (Brachydanio rerio)
  • Rasbora – Arlequim (Rasbora heteromorpha)
  • Tubarão de Cauda Vermelha (Labeo bicolor)

Cobídeos

Tal como sucede com os Peixes – Gato, os Cobídeos procuram os alimentos no fundo do aquário e gostam de ter a sua disposição muitos esconderijos. O corpo, desprovido de escamas, das espécies desta família pode ser fusiforme ou achatado na região inferior. Algumas espécies são sensíveis às alterações da pressão atmosférica; o seu comportamento estranho pode ser um prenúncio de mau tempo.

  • Peixe Cobra (Acanthophtalmus kuhli)
  • Botia Palhaço (Botia macracantha)

Peixes – Gato

Existem Peixes-Gato no mundo inteiro, pois vivem em todo o tipo de águas. Com o decorrer do tempo, tornaram-se um género muito adaptável, ocupando diversos nichos ecológicos. No aquário são muito úteis como “limpa-fundos”, pois as diferentes espécies consomem algas e resíduos alimentares.

  • Limpa – Fundos (Corydoras aeneus)
  • Ancistrus (Ancistrus dolichopterus)
  • Limpa – Vidros (Otocinclus affinis)
  • Peixe – Vidro (Kryptopterus bicirrhis)

[ad]

Categories
Curiosidades

Alimentação dos Peixes é Muito Importante?

Peixes sendo AlimentadoA alimentação é sem dúvida nenhuma uma das mais importantes etapas no sucesso do aquarismo. Se você não alimentar seus peixes adequadamente com tudo o que eles precisam para viver como proteínas, gorduras, sais mineiras e outros nutrientes essenciais, isso ira fazer com que eles fiquem fracos, debilitados podendo afetar o crescimento e aumentar a exposição a doenças e até a morte por desnutrição.

Gostariamos de lembrar também que para alimentar bem um peixe, não existe a necessidade de muita comida, mas sim de uma alimentação balanceada. Um peixe bem alimentado corre menos riscos de sofrer doenças. Não esqueça que para manter a saúde da vida aquática, não basta apenas uma boa alimentação, mas também um ridido controle da qualidade da água.

Para dar a alimentação adequada você tem que variar o cardápio e alimenta – lo para que ele consiga consumir o alimento em 10 minutos.

Tipos de alimentos: Alimentos vivos = artemia, larvas de mosquito, pulga d´água , tubiflex e etc. Além de ser muito nutritivo deve ser dado 2 vez por semana em quantidade pequena para que eles comam rapidamente e não sobre no aquário.

Alimentos industriais(rações). Existem no mercado diversas rações de boa qualidade.Alimente seus peixes 2 vezes ao dia e varie bem o cardápio e procure ter horários para trata – los.

Alimentação específica para cada peixe

Você já sabe que a alimentação é muito importante para você ter sucesso no aquarismo. Existe a alimentação específica para cada espécie de peixe e nós te ensinaremos o melhor jeito para você alimentar seus peixes, fique ligado em novas matérias no nosso site.

[ad]

Categories
Curiosidades

Dicas Úteis Para Aquaristas

1- Uma forma de retirar o cloro da água sem usar produtos químicos é utilizando-se o carvão ativado no filtro externo ou interno. Em menos de duas horas, todo o cloro desaparecerá. Outra forma de retira-lo é elevando a temperatura para 36 graus, assim o aquário ficará livre do cloro em 6 horas.

2- Quando for administrar algum remédio no aquário hospital, use apenas o aerador para movimentar a água, já que o filtro interno e o extreno podem reter o remédio, eliminando sua eficácia. Se algum antibiótico foi usado, mantenha o aquário em local escuro, o contato com a luz solar deixará a água vermelha, envenenando os peixes.

3- A fumaça de cigarro, charuto, etc., é altamente maléfica para o corpo aquático. Quando muitos fumantes estiverem próximos ao aquário, desligue as bombas aeradoras e areje bem o ambiente até que deixem o local. Se você for usar aerosol em casa, também desligue os aeradores e cubra o aquário com um plástico.

[ad]

Categories
Curiosidades

O Peixe Cresce de acordo com o tamanho do Aquário?

É verdade que o peixe cresce de acordo com o tamanho do Aquário?
Não.

Os peixes, como os outros seres vivos, têm seu tamanho, colorido, formato, e outras características determinadas pelo seu código genético.

Essa crença de que se o aquário é pequeno o peixe fica pequeno é velha, do tempo em que os peixinhos raramente viviam mais de 10 dias em aquário… Tempos idos, pois hoje, com todo o conhecimento que se desenvolveu no aquarismo, o período médio de vida do peixe no aquário pode ultrapassar sua expectativa de vida na natureza! Em um aquário bem planejado, sendo o peixe alimentado com comida balanceada para suprir suas necessidades nutricionais, mantido em água com os parâmetros equivalentes aos do seu habitat de origem e, se assim for a vontade do aquarista responsável, sem predadores ao redor, os peixes podem ter um período de vida no aquário superior àquele na natureza.

Bom, mas voltando ao assunto desse artigo, por quê um peixe, ou qualquer outro ser na natureza desenvolveria um mecanismo de controle do tamanho que permitisse que alguns exemplares da espécie crescessem mais e outros menos, dependendo do recipiente aonde fossem colocados? Se fosse assim, os humanos provavelmente estariam a cada geração diminuindo de tamanho…

Outros mecanismos limitam o crescimento dos peixes no aquário, mas ao conhecê-los, ninguém vai querer manter um peixe que cresce muito em um aquário pequeno!

– Alimentação: evidentemente esse é um fator limitante; um peixe que come pouco cresce pouco. Isso é até bom para quem tem pouca experiência com aquários, já que geralmente os peixes passam por longa estiagem na natureza, períodos quase sem alimento, e sobrevivem. Sem comida o peixe não suja a água, não deteriorando a qualidade dessa, e em um sistema fechado como o aquário, a água poluída mata mais que a falta de comida.

– Nitrato: o nitrato é uma proteína que se acumula, produto da decomposição das fezes, urina e restos de comida na água. Na natureza, o nitrato seria levado pela correnteza, e diluído pelo enorme volume de água disponível, mas no aquário essa proteína se acumula na água, engrossando a mesma, coisa que nós não vemos, mas o peixe sente. O aumento na concentração de nitrato inicialmente é pouco sentida, mas quando a concentração chega em níveis mais altos, os peixes começam a sentir, se alimentam menos, ficam mais parados, e muito predispostos a problemas de saúde. Existe uma relação, observada, de que quando as concentrações de nitrato aumentam, os peixes crescem menos, e até param de crescer.

Assim, em um aquário pequeno um peixe pode mesmo crescer menos, mas isso ocorre porque o nitrato, que faz mal para o peixe, se concetra mais rápido em um volume menor de água, inibindo o crescimento do peixe. Na minha opinião, é uma maldade colocar peixes em um aquário pequeno, e esperar que eles não cresçam por causa do nitrato, por que a água deles acumulou sujeira suficiente para inibir, de algum forma, seu crescimento. Fato é que um filhote de peixe grande colocado em um aquário pequeno, mas no qual a água é totalmente trocada diariamente, zerando o nitrato, vai crescer normalmente, até morrer por outra causa limitante, como a falta de oxigênio suficiente dissolvido em um volume pequeno de água.

Para concluir, ou melhor dizendo, a moral da estória é: quando montar um aquário, coloque peixes adequados ao tamanho do mesmo, planeje ter um aquário com peixes saudáveis, que vão viver bem, até vindo a se reproduzir!

[ad]