Dicas para Combater doenças, e Más Condições da Água

By • Nov 3rd, 2009 • Category: Tratamento de Doenças

Normalmente as doenças de peixes estão associadas com a baixa da qualidade da água, ou pela ocorrência de algum fator estressante no aquário. O acúmulo de matéria orgânica (animal e vegetal) no fundo do aquário, e também os restos de comida, são na maioria dos casos os responsáveis pelo aparecimento de mal cheiro e doenças. A super alimentação dos peixes é um problema sério nos aquários: dê para os peixes comerem apenas o suficiente; nunca alimente em excesso, pois o excesso vai para o fundo se decompor, e “estragar” a água. A alimentação em excesso é, a longo prazo, muito mais prejudicial que a falta de alimentação.

É importante fazer com frequência uma manutenção preventiva para manter a água em boas condições. Faz parte dessa manutenção a troca de água com limpeza do fundo (usando sifão) e a limpeza dos filtros.

Mas o que fazer na ocorrência de algum problema?

1) Não alimente os peixes até diagnosticar o problema;

2) Com cuidado para não estressar mais ainda os peixes, limpe o aquário, retirando folhas mortas e fazendo uma pequena troca parcial de água, entre 10 a 20 % do volume de água do aquário, ou 50 % no caso dos peixes parecerem invenenados;

3) Aumente a aeração na água;

4) Se não tiver no aquário nenhum peixe muito sensível a sal grosso (cascudos e limpa-vidros), dissolva um pouco de sal grosso, e adicione à água. No caso de coridoras, que também são sensíveis ao sal, é possível mesmo assim colocar um pouco de sal grosso dissolvido;

5) Se algum peixe está com sinais de doença, tente diagnosticar. Se for íctio, trate no próprio aquário aumentando a temperatura aos poucos (0,5° por hora) até 31°. Não aumente mais de 5° por dia. Aumente a oxigenação da água, pois com o aumento da temperatura, a quantidade de oxigênio na água vai diminuir. Se os sintomas forem de outra doença e for necessário o uso de antibióticos, faça o tratamento em aquário hospital, especialmente se houverem plantas no aquário. Evite ao máximo o uso de remédios; só os use se não houver outro jeito, e após ter certeza daquilo que está sendo tratado! Pela minha experiência, eu recomendo para uso no aquário principal somente sal grosso, e os Bactericida e Fungicida, e o Parasiticida, da Atlantis. De todos os medicamentos que eu testei nos meus aquários, esses foram os únicos que se mostraram, ao mesmo tempo, efetivos contra as doenças e indiferentes para as plantas e a biologia do aquário. O Parasiticida serve para combater o íctio, e o Bactericida e Fungicida, contra fungos e outras doenças;

6) Para remover mal cheiro do aquário, use carvão ativado novo dentro do filtro, ou em uma meia de seda em local de boa circulação de água. Cuidado, o carvão ativado remove impurezas da água, incluindo os medicamentos;

7) Mantenha uma rotina de pequenas trocas d´água no aquário, até resolver completamente o problema.

Quanto a fatores estressantes, posso citar uma mudança brusca de pH, ou de temperatura. No caso de uma troca de água, é importante checar o pH da torneira e do aquário, e checar se não é necessário tratar a água da torneira para essa ser mais compatível com a do aquário. É sintoma de choque de pH, após uma troca d´água, os peixes irem para a superfície e ficarem boqueando ar. Nesse caso, aumente a aeração, e tente corrigir o pH bem lentamente. O choque de temperatura pode ocorrer por quebra do aquecedor, por exemplo. Nesse caso, é necessário subir a temperatura aos poucos, não mais de 5° no primeiro dia, e dois graus cada dia até voltar ao normal.

Leave Comment