Categories
Tutorials

Como Funciona a Química da Água dos Aquários

Todos nós sabemos que água é extremamente importante para a manutenção e saúde dos peixes e plantas no aquário. Um dos fatores importantes a serem controlados é o pH, sendo que os outros são menos usados, e são aplicados normalmente quando se tenta manter espécies mais sensíveis no aquários.

Os peixes em nossos aquários são provenientes de várias partes do mundo aonde habitam águas com características químicas específicas, nas quais as espécies evoluiram ao longo dos tempos, e para as quais estão adaptadas. É necessário conhecer um pouco as necessidades das espécies que nós queremos criar, para dar aos peixes um habitat com condições semelhantes ao seu ambiente de origem.

Nesse tópico vou explicar de uma maneira simples alguns conceitos químicos usados em aquariofilia. A idéia aqui é dar ao aquarista uma base para que ele possa adaptar seu aquário melhor as exigências das espécies escolhidas, e também para escolher espécies compatíveis para habitar um aquário comunitário.

Para que os peixes mantenham o seu meio interno estável, eles estão continuamente fazendo trocas com o meio externo (a água do ambiente) através de absorção, secreção e excreção. Condições incorretas da água vão afetar as trocas de nutrientes e produtos de excreção através da membrana celular e podem afetar a fertilidade, o funcionamento de orgãoes internos e o crescimento, causando prejuízo a saúde dos peixes.

pH

O pH nos diz se a água é neutra, ácida ou básica (alcalina) e em que grau. A molécula de água H2O se dissocia em H+ e OH-, que reagem com outros componentes dissolvidos na água, podendo deixar H+ ou OH- em excesso na água. Quando o excesso é de H+ a água é dita ácida, quando é de OH- a água é básica, e quando os dois estão em proporções iguais, temos uma água neutra. A escala usada para medir o pH é logarítmica e vai de 0 a 14, sendo 7 o valor da água neutra. Os valores inferiores a 7 são ácidos e os superiores alcalinos.

Como a escala é logarítmica, um pH de 5 indica uma água 10 vezes mais ácida que um pH de 6. Sendo assim, percebe-se que uma pequena variação no valor do pH causa uma grande variação nas características químicas da água, que vai ser sentida pelos peixes. Por isso não devem ser feitas mudanças bruscas no valor de pH da água (com adição de produtos com essa finalidade). O ideal é não mudar o pH mais de 0,3 pontos por dia, para que os peixes tenham tempo de se adaptar as novas condições.

A maioria das espécies de peixes é proviente de ambientes com condições definidas de pH, que devem ser imitadas em nossos aquários. Por exemplo, peixes de água ácida devem ser mantidos em água ácida, com outros peixes que também tenham preferência por água ácida.

Dureza (general hardness – GH)

A dureza é a medida de íons cálcio (Ca++) e magnésio (Mg++) na água. A água dura é frequentemente proveniente de aquíferos de pedra calcárea, ricos em CaCO3.

A maioria dos testes aquarísticos que medem esse parâmetro dão o resultado em unidades de CaCO3, o que significa que a dureza é equivalente a esse tanto de CaCO3 na água, mas não significa que ela é obrigatoriamente proveniente de CaCO3. A forma mais comum de expressar a dureza é através de “graus de dureza” (dH – degrees hardness). Cada grau de dureza é equivalente a 10 mg de óxido de cálcio (CaO) por litro de água.

O conceito de dureza é importante para a manutenção de espécies mais sensíveis e exigentes quanto À qualidade da água, como os acarás-disco, que devem ser mantidos preferencialmente em água mole, e os ciclídeos africanos, que são originados de habitats de águas bem duras.

Dureza – dH ppm de CaCO3 tipo da água
0 – 4 0 – 70 muito mole
4 – 8 70 – 140 mole
8 – 12 140 – 210 levemente dura
12 – 18 210 – 320 dura
18 – 30 320 – 530 muito dura

Geralmente, a água mole é ácida, enquanto que a água dura é alcalina, mas essa relação não é obrigatória.

Dureza Carbonada – KH (tamponamento)

É a medida de ions bicarbonato (HCO3-) e carbonato (CO3–) na água. Como os testes de KH não conseguem ser exclusivos aos ions carbonato e bicarbonato, eles medem na verdade a alcalinidade da água, que é principalmente devida à presença desses ions no aquário de água doce.
A alcalinidade é a medida da capacidade tamponante total de ácido, ou seja, de todos os anions que podem se ligar a ions H+ livres na água, impedindo assim a queda do pH. No aquário de água doce, os termos “dureza carbonada”, “capacidade tamponante” e “alcalinidade” são usados como sendo sinônimos.
Quando o aquário tem alguma capacidade tamponante carbonada, os ions bicarbonato irão se combinar com o excesso de ions hidrogênio para formar ácido carbônico (H2CO3) que lentamente se dissociará em CO2 e H2O.

Ao longo do tempo, a medida que os ions carbonados são usados, a capacidade tamponante irá diminuir, e baixas mais acentuadas do pH serão notadas.

[ad]

Categories
Tutorials

Dicas para Aquarismo Marinho e de Água Doce

Devido a um grande trabalho de pesquisa conseguimos colocar uma lista contendo grandes dicas de como cuidar melhor do seu aquário de água doce ou marinha. No geral o conteúdo é simples e de fácil aplicação no dia-a-dia, o que que ajudam a melhorar a qualidade de vida no seu aquário.

Gostariamos de lembrar também que essas dicas foram coletadas de diversos locais e livros do tema, e que sempre que possível estamos abertos a receber dicas ou artigos de nossos leitores para serem publicadas no site.

Em breve estaremos reformulado o site e trazer mais conteúdo sobre Aquarismo  e artigos relacionado a aquariofilia no Brasil e no mundo.

Aqui segue dezenas de dicas para você aplicar no seu Aquário em casa, cada uma delas tem sua devida aplicação e nem todas poderão aplicar ao seu caso.

  • Procure não deixar a temperatura do aquário variar mais que 3ºC por dia.
  • Estabeleça horários para alimentar os seus peixes e para desligar a luz do aquário.
  • Troque suas lâmpadas fluorescentes a cada ano.
  • Procure observar o estado geral do aquário, diariamente.
  • Faça testes de PH a cada semana. Desta forma, o seu PH nunca irá se alterar bruscamente.
  • Só coloque a mão no aquário quando for extremamente necessário.
  • De pequenas quantias de alimentos para os peixes que devem ser consumidas em no máximo 5 minutos, pois as rações que não forem consumidas fermentam e produzem poluentes para a água.
  • Ao desligar a luz do aquário, deixe a luz do ambiente onde ele está ligada por uns 5 minutos. Assim os peixes não se assustarão muito.
  • A temperatura ideal do aquário entre 24 e 28ºC.
  • Pode as plantas conforme suas necessidades.
  • As luzes do aquário devem permanecer ligadas de 10 a 14 horas por dia.
  • Não deixe o aquário receber iluminação natural direta, pois esse tipo de luz faz que se desenvolvam algas, o que não é bom.
  • Use a proporção, para peixes limpadores, de um cascudo para cada 50 litros, ou 1 limpa vidro ou coridora para cada 10 litros de água.
  • Procure alimentar mensalmente seus peixes com alimentos vivos
  • Ponha sempre bastantes plantas no seu aquário, pois elas oxigenam a água, ajudam a fazer o controle de poluentes e dão um aspecto muito bonito ao mesmo.
  • Uma forma de você saber se a água tem uma dureza total(dH) elevada ou não, é olhando as bordas do aquário. Se, após ter evaporado um pouco d’água, as bordas estiverem com uma camada branca, é porque a água é dura, mas se esta camada branca não aparecer, a água é mole.
  • Nunca coloque um tronco num aquário de água alcalina, pois o tronco vai acidificar a água.
  • Para aumentar o PH e a dureza da água acrescente meia colher de café de bicarbonato de sódio por dia, até você obter os valores desejados(sejam eles de dureza e/ou de PH).
  • Caso você tenha muitas plantas com raízes, acrescente um adubo para solo.
  • Um método de concentrar a fertilização do cascalho numa planta só, é colocando um pequeno vaso e enchendo-o com argila.
  • Evite variações bruscas de temperatura ou PH. Elas podem matar rapidamente seus peixes.
  • Não use cascalho colorido, pois além de não combinarem com um bom aquário, costumam soltar tinta e não são naturais, o melhor à usar é o cascalho de rio.
  • Para acidificar a água ponha um pedaço de xaxim bem lavado em seu aquário
  • Use sempre cascalho arredondado no solo, de cor escura.
  • As placas do filtro de fundo devem ocupar no mínimo 3/4 do solo.
  • O posicionamento da luz atrás é melhor.
  • Caso necessário, deixe uma saída do divisor de ar livre, para sair o ar excedente do compressor.
  • Posicione sempre o aquecedor no fundo do aquário e na horizontal.
  • Para peixes de hábitos noturnos monte tocas com pedras grandes.
  • Plante 1/3 da área do solo.
  • Em caso de necessidade urgente, saiba que a água do chuveiro (quente) já vem sem cloro. Deixando esfriar, você pode usá-la no aquário.
  • Todo aquário deve ser assentado sobre uma placa de isopor.
  • Troncos apenas devem ser usados para ornamentar aquários de água ácida.
  • Limpe mensalmente apenas as algas do vidro frontal usando um limpador magnético, de gilette, de esponja ou uma esponja nova de lavar louça .
  • É conveniente instalar uma torre de filtro de fundo a cada 50 cm de comprimento de aquário.
  • O volume de água do aquário calcula-se multiplicando o comprimento pela altura e pela largura e dividindo por 1000. O resultado dará em litros.
  • Escolha sempre um aquecedor na proporção de 1 Watt por litro de água.
  • Alimente os seus peixes pelo menos uma vez por semana com alimentos vivos.
  • Guarde o pote de alimentos (ração em flocos) sempre bem fechado e em local seco e arejado.
  • Pedras calcáreas (ex: mármore) mantém a água alcalina naturalmente.
  • Inclua na decoração do aquário algumas pedras grandes arredondadas.
  • Deixe a lâmpada ligada de 8 a 12 horas por dia.
  • As raízes das plantas não devem ser totalmente enterradas no solo (não sufoque a raiz).
  • Os caramujos são benéficos para o aquário, quando controlada a sua taxa de natalidade, que é alta. Eles auxiliam na faxina do aquário.
  • Existe uma variedade muito grande de alimentos em flocos. Procure variar os sabores diariamente.
  • O coração de boi crú pode ser dado raspado aos peixes. Cuidado com o tamanho.
  • Peixes comem praticamente de tudo. Faça sempre experiências com novos alimentos. Comece dando um pouquinho e observe.
  • O tamanho do alimento a ser dado aos peixes deve ser proporcional ao tamanho de suas bocas.
  • Um termostato pode ser usado para controlar a temperatura de vários aquários simultaneamente.
  • Observe sempre que algumas espécies de peixes vivem bem em cardume.
  • Crie o hábito de cheirar a água de seu aquário. Com o tempo você irá identificar quando a água não está boa, só pelo cheiro.
  • Acostume os seus peixes a horários fixos de alimentação e de acender e apagar a luz. Coordene isso.
  • Pedaços de xaxim bem lavados são usados para acidificar a água naturalmente.
  • A temperatura da água deve permanecer entre 24 e 28ºC.
  • No inverno, verifique a temperatura da água pelo menos duas vezes por dia. Cuidado com a queda brusca.
  • Uma boa opção de alimento para os peixes no inverno é a artemia salina viva. Se for difícil adquirí-la, estoque alguns podes de artemia congelada ou hidratada.
  • Um peixe albino vive melhor numa intensidade de luz moderada.
  • Para alimentar os peixes com tubifex, utilize sempre um comedouro próprio que existe à venda nas lojas. No final do dia retire o comedouro e jogue fora o que sobrou do tubifex.
  • Deixando o saquinho com um peixe recém-adquirido boiando na água por uns 10 minutos, você estará equalizando as temperaturas das duas águas e isso é muito bom para o peixe.
  • Aprenda também a equalizar as condições químicas da água. Depois de efetuar o item anterior, abra o saquinho, jogue metade da água fora e com um copinho introduza, em intervalos de 3 minutos, água do seu aquário. Ao final de 12 minutos coloque o peixe no aquário. Não jogue a água do saquinho no aquário.
  • Ao comprar um novo peixe, peça ao lojista que acondicione o saquinho plástico em um saco de papel escuro. O peixe sentirá assim menos medo.
  • Saiba que um peixe bonito e com o colorido forte na loja pode chegar em sua casa e perder a cor quando colocado em seu aquário. Isso é normal e em pouco tempo ele voltará a mostrar o seu colorido natural.
  • Um peixe de água ácida pode viver muito bem em água alcalina, e vice-versa, desde que a sua adaptação seja de forma gradativa. E depois de bem adaptado, procure nunca colocá-lo diretamente de novo em água ácida, só porque você leu que ele é um peixe de água ácida…
  • A primeira semana de qualquer peixe em um aquário é básica. Se ele se adaptar bem nesse período (com a água, alimentação e companheiros), ele viverá bem.
  • Saiba que os peixes vivem muitos anos, e não apenas algumas semanas.
  • Se você for construir um aquário de grande porte, faça o vidro do fundo bi-partido, com uma emenda. Isso aliviará a pressão da água no vidro.
  • Uma pequena variação (de 3 a 5ºC) da temperatura da água durante o dia é bom para os peixes.
  • Algas marrons ou plantas amareladas indicam iluminação insuficiente.
  • Em geral plantas que são compridas e não possuem raízes ficam melhor se plantadas em tufos (molhos).
  • Os peixes mais indicados para o principiante são: Tricogaster, Colisa, Betta. Você aprenderá muito cuidando deles.
  • Coridoras, limpa-vidros, cascudos e dojos são ótimos para nos ajudar na faxina do aquário, pois apreciam algas e restos de comida. Coloque um grupo deles depois de 30 dias do aquário montado. Não coloque antes.
  • Nunca use cascalho pontiagudo no solo.
  • Não use uma camada muito fina de cascalho sobre o filtro de fundo.
  • Não coloque o aquário sobre móveis frágeis. Cuidado com acidentes.
  • Não deixe o aquário próximo a janelas.
  • Não deixe o compressor próximo ao reator da lâmpada fluorescente.
  • Não deixe o pote de comida em lugares quentes, como próximo à lâmpadas e ao reator.
  • Muita aeração na água é ruim para as plantas.
  • Nunca retire o aquecedor ligado da água, e nunca ligue-o fora da água.
  • A bomba submersa, quando utilizada, deve trabalhar submersa mesmo.
  • Nunca troque toda a água do aquário.
  • Cuidado na troca parcial da água, a nova deve ter o mesmo pH da antiga.
  • Evite colocar juntos peixes de água ácida e outro de água alcalina. Normalmente não combinam.
  • Nunca utilize no solo cascalho colorido que solta tinta.
  • Se for construir um aquário, informe-se sobre a espessura do vidro. Não deve ser muito fino.
  • Não super-alimente os peixinhos que ficam em criadeiras. A água ficará turva e eles morrerão.
  • Em aquários recém montados, espere no mínimo 3 dias para adicionar o primeiro peixe.
  • Não bata no vidro do aquário. Os peixes se assustam.
  • Não coloque muito a mão dentro do aquário. Só se houver muita necessidade.
  • Não fique modificando sempre a decoração. Procure mexer o menos possível nele.
  • Procure não fumar ou usar aerosol perto do aquário.
  • Não esqueça de colocar uma toalha grande sobre o aquário se você for pintar o ambiente.
  • Nunca dê aos peixes biscoitos para cães, migalhas de pão ou bolachas.
  • Carpas e kinguios grandes vivem bem em tanques externos. Evite colocá-los em aquários pequenos pois arrancarão as plantas e suas fezes poluem a água. Apenastenha carpas e kinguios grandes em aquários grandes e com filtro externo forte.
  • Nunca coloque juntos peixes muito grandes e muito pequenos.
  • Não super-alimente os peixes com ração. O resto de comida poluirá a água. Evite também dar alimento em pó ou em grão, se você é iniciante.
  • Não super-povoe seu aquário. calcule sempre a proporção de 1 cm de comprimento de peixe por litro de água.
  • Não coloque plantas de superfície (aguapé, alface d´água, etc). A lâmpada queimará suas folhas e são anti-estéticas.
  • Não coloque tartaruguinhas e pitus junto com os peixes. Estes animais podem “cutucar” os peixes, principalmente à noite.
  • Procure não dar “peixes vivos” aos peixes grandes e carnívoros. Adote outras opções alimentares (fígado de galinha, coração de boi, minhoca, tubifex, etc).
  • Todo alimento se deteriora muito rapidamente, principalmente os naturais (coração de boi crú, camarão, etc). Forneça aos peixes sempre em pequenos pedaços e veja eles comerem tudo antes de colocar um novo pedacinho.
  • Os peixes comem tudo que é “bichinho”. Só evite dar a eles insetos que possuem espinhos ou ferrão.
  • Cuidado com a temperatura da água. Evite deixar abaixo dos 20ºC ou acima dos 30ºC.
  • Os peixes comem mais no calor e durante o dia.
  • O movimento de turbulência forte da água não é bom para as plantas, pois elas precisam de gás carbônico.
  • Evite introduzir medicamentos em um aquário equilibrado e com muitas plantas. Avalie sempre a gravidade da doença, separe eventuais peixes doentes e trate-os. As plantas morrem em presença de certos medicamentos.
  • Não pense que algas no fundo ou pedras esverdeadas é sujeira. Isso faz parte do equilíbrio do aquário.
  • Conchas do mar não deve fazer parte da decoração de um aquário de água doce.
  • Evite fazer manutenções em seu aquário nos dias frios.
  • Se você pretende reproduzir peixes nunca os deixe em um aquário comunitário. O casal reprodutor precisa de tranquilidade para acasalar.
  • Evite deixar seu aquário sem tampa de vidro caso você possua peixes saltadors (ex: Espada).
  • Nunca coloque pedras de mármore ou dolomita em aquários de água ácida.
  • Nunca pense que comprando dois peixes em uma loja você está adquirindo um casal. Tenha sempre num mesmo aquário grupos de peixes da mesma espécie para que formem casais naturalmente.
  • Nunca coloque peixes que nadam muito rapidamente em aquários de pouco comprimento (ex: Paulistinhas, Dânios, etc).
  • Não instale apenas lâmpadas Grolux em aquários altos (com mais de 60 cm), pois os raios luminosos desta lâmpada só são efetivos até 50 cm.
  • Nunca coloque uma luz muito forte no aquário. A luz irritará os peixes, que perderão o brilho e a cor natural.
  • Evite fornecer artemias salinas que você adquiriu vivas e estão mortas no saquinho.
  • Não esqueça de passar as artemias vivas em água corrente (use uma peneirinha) antes de fornecê-las aos peixes.
  • Nunca compre um peixe que vive bem em cardume sozinho. Compre no mínimo 5.
  • Lembre-se que a melhor maneira de tartar uma doença parasitária no aquário, sem utilizar nenhum remédio, é retirar todos os peixes e mentê-lo funcionando por 5 dias sem peixes. Depois você pode colocar os peixes de volta (que foram tratados em um aquário-hospital).
  • Não coloque sal num aquário que possui coridoras ou cascudos.
  • O Ictio nunca aparecerá em um aquário com baixa temperatura. Apenas aparecerá em um aquário que sofre constantemente quedas bruscas de temperatura.
  • Nunca deixe de checar constantemente as instalações elétricas de seu aquário.
  • Nunca traga da loja muitos peixes acondicionados em um único saquinho.
  • Evite guardar artemia viva para o dia seguinte. Dê toda a porção que você comprou no mesmo dia.
  • Se você na loja comprar peixes que estão em diferentes aquários, peça ao lojista para acondicioná-los em saquinhos separados.
  • Alguns peixes não devem ser colocados como primeiros habitantes do aquário: Tricogaster, Beijadores…
  • Não coloque muitos enfeites em seu aquário, principalmente os que soltam bolhas.
  • Os peixes dormem. Não se assuste se à noite, com a luz apagada, os seus peixes estiverem parados, próximos ao solo.
  • Não trate as plantas como “matinho”, achando que devem ser repostas periodicamente. Elas crescem muito e vivem muito.
  • Não use muitas plantas artificias.
  • Não adquira aquários com altura maior que 80 cm. Dificultará a manutenção, pois seu braço não alcançará o fundo.
  • Não ilumine seu aquário com lâmpadas coloridas (verde, azul, vermelha…).
  • Não compre um peixe sem conhecê-lo bem. Saiba ao menos o nome de seus peixes.
  • Não alimente seus peixes à noite, com a luz apagada.
  • Não esqueça de observar na compra d eum novo peixe: Olhos: têm que estar perfeitos, brilhantes; Corpo: sem arranhões e com muco protetor brilhante e cores vivas; Barriga: deve estar um pouco saliente, isto é, gordinho. Não compre peixes com a barriag para dentro; Nadadeiras: sem manchas e bem transparentes.
  • Não compre se estiverem fechadas, quebradas ou faltando pedaços; Boca: deve estar perfeita, sem feridas nem inchada; Ânus: não deve estar inchado.

[ad]

Categories
Tutorials

Como fazer uma Toca ideal para o seu Peixe

Bom, você deve estar pensando que essa dica seja inútil, aprender a fazer toca pra peixe”, calma, fazer toca para um peixe não é tão simples quanto parece, é simples mas tem suas técnicas. “Que peixe gosta de ficar em toca???”, vários peixes, vou dar exemplo de alguns: Abelhinha, Coridora, Ituí Cavalo, Labeo frenatus, Betta Fêmea entre outros.

Esses e outros peixes procuram toca para poder ficarem “a vontade”, normalmente são peixes de hábito noturno, a toca os proporciona sossego, sombra e água sem movimento. Mas se a toca não for bem montada não dará ao peixe esses benefícios que ele procura, por isso resolvi escrever essa dica, já que em 95% dos aquarios que vejo possuem tocas mau montadas ou de pouca eficácia ao peixe. Vamos lá, primeiro passo é você comprar ou coletar pedra(s) e tronco(s), pois eles servirão de auxílio na construção.

Segundo passo é você cavar o local onde a toca será montada, fazer uma pequena profundidade no cascalho, aproveite para sinfonar esse local. Terceiro passo é a montagem, antes vou ressaltar um fator, é preciso senso, pois se o seu peixe for pequeno você não vai fazer uma toca gigante, por isso escolha o tamanho da toca de acordo com o tamanho do peixe(e sempre fazer a toca para apenas um peixe, nunca querer usar uma toca para vários peixes).

Olhe abaixo como montar:

1º Coloque o tronco em horizontal com 1cm afundado no cascalho

2º Coloque uma pedra retangular em cima do tronco, ajeite de um jeito que a toca só tenha uma saída.

3º Para fazer o apoio da toca para que ela não tenha perigo de desabar, coloque uma pequena pedra áspera apoiada ao tronco. Observe abaixo o bitmap abaixo mostrando dois estilos de toca, a errada( que a maioria dos aquaristas fazem) e a certa:

Observe que a toca montada errada correr risco de se desmontar por qualquer correnteza forte, e a iluminação esta penetrando dentro da toca, o que não serviria de nada ao peixe, já a toca certa esta muito mais segura, com bom abrigo ao peixe e sem penetração de luz.

[ad]

Categories
Tutorials

Dicas para fotografar dentro do aquário

Muito pouco eu entendo de fotografia, ou do equipamento para fotografar. Estou escrevendo este tópico apenas porque muitas das pessoas que visitam minha página perguntam sobre como foram tiradas as fotos dos peixes que eu uso aqui.

A máquina que eu usei em todas foi uma Nikon Digital: essa máquina armazena as fotos em uma memória, e depois nós descarregamos o conteúdo da memória no micro, através de um cabo USB; as fotos ficam em formato .jpg, e a resolução pode ser de 320 X 240 a 4564 X 3480. Eu não usei nenhum tipo de lente de zoom, apesar de terem me dito que essa câmera aceitaria, e a aproximação máxima que eu consegui mantendo a nitidez foi de uns 20 centímetros.

As dicas para como proceder na hora de tirar as fotos foi pega com um fotógrafo, muito especializado em um tipo de fotografia chamada “macrofotografia”: são usadas lentes de aumento sobre o objeto que se quer fotografar, assim ele aparece bem maior e com mais detalhes. A foto ao lado foi obtida por este fotógrafo usando essa técnica.

DICAS:

1) Use roupa escura para minimizar o seu reflexo no vidro do aquário;

2) Bata as fotos em ângulo com o vidro do aquário, para não haver refração;

3) Tente iluminar o aquário bastante, para não precisar do flash;

4) Uma excelente idéia é ter um aquário bem pequeno, com o fundo e laterais pretos, que possa ser colocado do lado de fora em um dia bem claro, e cheio com água do aquário de origem do peixe a ser fotografado. O peixe será colocado nesse aquário, sem sofrer com a mudança, e servirá de modelo por um tempo, até ser devolvido para o aquário dele. Dentre as fotos que eu tirei, a nitidez dessas fotos batidas sem flash, com a luz do dia, foram as melhores.

Além dessas dicas, uma coisa muito importante, e que deve ser lembrada, é manter os vidros do aquário o mais limpo possível, removendo as algas que podem estar do lado de dentro, e limpando sujeiras e gorduras do lado de fora, podendo ser feito com um pano com alcool.

Se algum dos leitores tiver mais sugestões para colocar nesse tópico, por favor, escreva que elas serão de grande utilidade.

[ad]

Categories
Tutorials

Dicas na Escolha de um Aquário de Peixes

Manter um aquário doméstico pode ser trabalhoso, porém nem tanto quanto pensamos. Se você configurar corretamente o tanque, colocando um conograma correto de manutenção regular, certamente tera uma boa experiência. Um aspecto muito importante é ter certeza de fazer uma boa escolha na hora de selecionar os peixes que farão parte de seu pequeno eco-sistema. Existe a necessidade que os peixes sejam compativeis entre si para uma boa armonia do aquário, seja ele de água doce ou marinha.

Todos nós gostariamos de possuir uma variedade de peixes de diferente tipos, tamanhos e cores, porém é preciso analisar com cuidado o que você esta escolhendo, já que muitos peixes são incompatíveis por diversos motivos.

A chave para se ter um aquário de peixes em vivem em boa harmonia é evitar misturar peixes agressivos com pacíficos, e caso realmente queira fazer a mistura tente pelo menos fazer que com os peixes de maior agressividade sejam de menor porte, assim você evita que eles se tornam territoriais e machuquem outros peixes de mesmo porte.
O método mais seguro está em simplesmente escolher peixes que se dão bem. Um dos meus favoritos é Neon Tetras e eu sempre pensei que um tanque ficaria bastante violento, com apenas um grupo deles.

Alguns peixes que são ligeiramente agressivo podem ser colocados em um aquário juntos com outros não violentos, isso proporcionará um balanço entre as espécieies.
Ciclídeos são agressivos, mas no geral são umas mais pelas espécieis de peixes tropicais. Eles normalmente são grandes em tamanho e algums possuem cores vibrantes e brilhantes que reflectem uma beleza subaquática.

Elas não devem ser mantidos com outros peixes mais pacíficos, ao menos que você quiser ver seus peixes sendo devorados ou assasinados periodicamante pelos ciclídeos. Alguns ciclídeos comuns incluem Jack Dempsey, Pink presidiário e Firemouth. Você pode misturar estes com tubarões e bagres. Alguns dos mais agressivos ciclídeos Africano necessitam ser mantidos em grandes grupos de 6 ou mais, a fim de manter o equilíbrio e a ordem no tanque.

Ao escolher peixes com longas barbatanas, você deve manter um ambiente com animais pacíficos. Como todos sabemos betas são muito bonitos mas só pode ser mantido um por tanque (ao menos que você tenha um grande tanque e então você pode ser capaz de conseguir 2 a co-existir). Eles podem ser mantidos com swordtails, platies, mollinésias, peixe anjo e gouramis.

E não esqueça que você precisa de um peixe para limpar o tanque e um dos mais recomendados seria usar o limpa-fundo ou plecostomus para isso. Normalmente essa categoria de peixes não enfretam nenum problem por viverem sempre no fundo do aquário, podendo assim ser misturados com espécies mais agressivas.

[ad]

Categories
Tutorials

Aquário Marinho – Segunda Parte

Local de Instalação
Após você ter comprado os materiais necessários para a montagen, a primeira coisa a ser feita é achar um local para a colocação do aquário. Este local não deve ser muito calmo pois podera fazer com que os peixes fiquem desacostumados com os seres humanos, assim se assustem com o movimento de pessoas facilmente. O que o aquarista não quer é ver seus peixes escondidos atras de rochas e plantas toda a vez que alguem se aproxima do tanque.

Lavagem dos Materiais
Achado o local, lave bem a cuba de vidro e todos os outros componentes, na limpeza use somente água corrente e “jamais use algum tipo de produto químico, pois poderá permanecer algum resto do produto que consequentemente ira causar contaminação e a morte dos peixes. Produtos como sabão não evaporam da água mesmo depois de muito tempo.

Montagem do Sistema de Filtragem
Lavado a cuba e todos os acessórios, é hora de instalar o filtro biológico de fundo, encaixando bem todas as plaquetas, em seguida coloque o cascalho que deverá estar “muito bem lavado” caso o contrário ira turvar a água. Lembre-se também que a altura do cascalho não poderá ser inferior que 5 cm e superior a 15 cm. Com a quantidade de cascalho inadequada o filtro biológico perde o seu propósito pois se muito fino, a luz atravesa o cascalho e causa a morte das bactérias.

Colocação dos Acessórios
Feito isto instale todo a parte elétrica e mecânica como a(s) bomba submersa(s) ,o aquecedor, termostato ou termômetro a iluminação o filtro externo entre outros. Lembre-se de seguir as intruções do fabricante a risca.

Decoração do Tanque
Acabado esta parte é hora de decorar o aquário, de prefêrencia use corais naturais algas marinhas e outros.Não use acessórios de plásticos, troncos ou pedras de rio.(Somente objetos do mar.)

Finalizando
Por fim encha o aquário com água da torneira(Caso você use o sal sintético, vide uso deste produto na indicação do fabricante) ou então colque água do mar previamente tratada com cloro e filtrada ou decantada.Não esqueça de manter a densidade em torno de 1.022.

Terminado, faça o aquário funcionar ligando os motores, o aquecedor e a lâmapada isto fara com que o aquário começe a ter “vida”.

Feito tudo isto, o melhor a ser feito é esperar no minimo 30 dias para que o nitrito e a amônia abaixe.É possivel colocar os peixes no mesmo dia da montagen, para isto é precisso o uso de nitro bactérias, que aceleram a capacidade do filtro biológico fazendo com que o nitrito abaixe em poucas horas…mas lembre-se que um aquário novo não possui equilibrio nenhum e poderá causar a morte dos peixes mais fracos.

Passado os dias chega o grande momento, o de habitar o aquário, mais espere a coisa não é tão simples assim.

Dicas para Manutenção Diária do seu Aquário

  • Nesta etapa você ficara sabendo o que pode e o que não pode se fazer quando o assunto é aquário bonito e peixes saudáveis.
  • Evite ficar colocando muito a mão dentro do aquário, caso isto seja necessário lave-as muito bem com água corrente(não use sabão).
  • A alimentação é algo muito importante para a saúde do peixes, alimente-os no minimo 2 vezes por dia, uma de manhã e outra a noite.
  • Lembre-se que o metabolismo dos peixes é maior pela manhã, sendo assim se alimentam melhor.
  • Evite a super alimentação, coloque poucas quantidades de cada vez e caso eles comam tudo repita a operação.
  • Coloque algas e corais naturais no seu aquário, evite conchas pois elas são aspiraladas e provocam zonas anaeróbicas.
  • Quando você adiquirir um novo peixe coloque o saco de transporte boiando sobre a água do seu aquário durante 10 minutos e cada 3 coloque um pouco da água do seu aquário dentro do saquinho do seu novo peixe. Isto tudo é necessário para igualar a temperatura e os aspectos químicos como o P.H.(Não coloque a água do saquinho de transporte no seu aquário).
  • É aconselhavel que você de um banho rápido no seu novo peixe com algum produto específico como labcon Clean Marinho, este banho evitara que doenças entre em seu aquário contaminando o seus peixes.(Maiores detalhes de como usar vide bula do produto).
  • É importante evitar a colocação de peixes agressivos no seu aquário pois isto podera causar grandes trastornos para você e os outros habitantes.
  • A luz devera ficar acessa durante 8 à 12 horas no maximo, um periodo maior podera causar um grande aumento de algas e um desenvolvimento anormal das plantas.
  • Periódicamente varie o cardápio do seus peixes com alimentos vivos.Ex: artêmia salina , micro-vermes, dáfnias, larvas de mosquitos, tubifex etc…
  • Evite a super população do seu aquário, tenha como base 1 peixe pequeno para cada 3 lts, um médio para cada 10 lts e um grande para cada 30 litros.(Ou 1 cm de peixe por litro d’ água).
  • Coloque peixes parasiteiros como o Bodianus.Ouriço, Estrela do mar e o Bernado Eremita são ótimos limpadores.
  • Mantenha a densidade da água em torno de 1.022, em densidade menor os parasitas encontram dificuldade para se reproduzir.
  • Peixes muito grandes poderão comer os menores, tenha bom senso na hora da compra.
  • As algas como os peixes vivem melhor em aguá cujo o P.H é o mais apropiado para cada tipo de espécie.
  • Com a evaporação da água a densidade aumenta, isto é prejudicial tanto para as algas quanto para os peixes.A solução para isto é simples basta compensar a quantidade evaporada adicionando água doce sem cloro todo o dia.

[ad]

Categories
Tutorials

Guida Prático de Manutenção Diária

Evite ficar colocando muito a mão dentro do aquário, caso isto seja necessário, lave-as muito bem com água corrente e não use sabão.

A alimentação é algo muito importante para a saúde dos peixes, alimente-os no minimo 2 vezes ao dia, uma de manhã e outra a noite. Lembre-se que o metabolismo dos peixes é maior pela manhã, sendo assim se alimentam melhor.

Evite a super alimentação, coloque poucas quantidades de cada vez e caso eles comam tudo repita a operação.

Coloque plantas naturais no seu aquário, porém a área plantada não podera ser maior que 2/3 da área do solo.

Quando você adiquirir um novo peixe coloque o saco de transporte boiando sobre a água do seu aquário durante 10 minutos e a cada 3 coloque um pouco da água do seu aquário dentro do saquinho do seu novo peixe. Isto tudo é necessario para igualar a temperatura e os aspectos químicos como o P.H.

É aconselhavel que você de um banho rápido no seu novo peixe com algum produto específico como labcon Clean, este banho evitara que doenças entre em seu aquário contaminando o seus peixes. (Maiores detalhes de como usar vide bula do produto).

É importante evitar a colocação de peixes agressivos no seu aquário pois isto podera causar grandes transtornos para você e os outros habitantes. Para saber quais peixes se adaptam bem, verifique a lista de compatibilidade desse site.

A luz devera ficar acessa durante 8 à 12 horas no maximo, um periodo maior podera causar um grande aumento de algas e um desenvolvimento anormal das plantas.

Periódicamente varie o cardápio dos seus peixes com alimentos vivos. Ex: artêmia salina , micro-vermes, dáfnias, larvas de mosquitos, tubifex etc…

Evite a super população do seu aquário, tenha como base 1 peixe pequeno para cada 3 lts, um médio para cada 10 lts e um grande para cada 30 litros. (Ou 1 cm de peixe por litro d’ água).

Coloque peixes limpadores no seu aquário como limpa fundo, coridora e limpa-vidro (1 para cada 10 litros).

O cascalho dolomitico deixa a água alcalina, troncos e restos vegetais deixam ácida. Poriso é importante saber que tipo de peixe o seu aquário possui. (Maiores detalhes consulte o link Tipos de Peixes)

Peixes muito grandes poderão comer os menores, tenha bom senso na hora da compra.

As plantas como os peixes vivem melhor em água cujo o P.H é o mais apropriado para cada tipo de espécie.

[ad]

Categories
Tutorials

Fertilização por CO2 para Uso na Alimentação das Plantas Aquáticas

Um dos hobbies que considero mais gostoso é o aquariofilismo, pois além de distrair e relaxar nós conseguimos com muito trabalho e dedicação criar um pequeno ecossistema onde reina uma paz e tranqüilidade que se espalha por todo o ambiente. É um dos fatores que contribuem para que esse ecossistema se mantenha estável e belo e termos plantas exuberantes. Para que isso seja possível é necessário alguns cuidados, dentre eles uma boa fertilização com CO2.

O seguinte texto é um relato de minha experiência com a utilização de CO2 produzido de forma barata e colocado em prática em meu aquário há pouco mais de 1 mês.Dentre os vários nutrientes que as plantas necessitam o gás carbônico (CO2) é o principal, pois ele é responsável pela formação dos tecidos das plantas.

Durante o dia, na presença da luz as plantas absorvem O2(respiração) e CO2(Fotossíntese); no processo de respiração elas absorvem O2 e liberam CO2, no processo de fotossíntese elas absorvem CO2 e liberam O2, sendo o consumo de CO2 bem maior que o de O2, assim esses dois gases devem estar em concentrações o suficiente para manterem as plantas em bom estado.

O oxigênio é encontrado em concentrações normalmente suficientes para as plantas, que durante o processo de fotossíntese liberam muito mais oxigênio do que consomem em seu processo de respiração, sendo assim o gás que deve ser inserido no aquário é o CO2. A concentração ideal de CO2 vai depender da quantidade de plantas e iluminação do seu aquário, não adianta iniciar um processo de fertilização por CO2 se a iluminação do aquário for insuficiente.

Fertilização por CO2:
Todo o sistema que se encontra no mercado é muito caro, e para um aquariofilista sem muitos recursos financeiros fica difícil adquirir tal sistema. O que vai ser apresentado é um sistema caseiro e de custo baixíssimo.

Alguns meses atrás navegando pela internet encontrei o site http://www.thekrib.com/ onde havia farta documentação sobre um sistema chamado DIY, ao ler esta documentação o meu interesse por fertilização por CO2 voltou, e decidi tentar.

O sistema DIY consiste em produzir o CO2 através da fermentação do açúcar, processo esse que é extremamente simples, e não requer qualquer tipo de equipamento sofisticado ou caro; o que passo a fazer agora é uma descrição da minha experiência.

Lista de material necessário:
1 garrafa de plástico vazia de refrigerante de 2 litros com a tampa
1 garrafa de plástico vazia de refrigerante de 600 ml com a tampa
2 xícaras de açúcar (branco ou preto)
Um pequeno pedaço de Fermento biológico para pão (Ex.: Meio tablete de fermento 7.5g)
Mangueira necessária (eu usei 2 metros)

Com um prego quente faça um furo na tampa da garrafa de 2 litros, e dois furos na tampa da garrafa de 600ml. Na garrafa de 2 litros coloque o açúcar e o fermento dissolvido em um litro de água morna , complete com água até 10 cm da boca da garrafa, tampe a garrafa e coloque a mangueira pelo furo ( 1cm mais ou menos). Se for necessário coloque um pouco de cola quente para vedar o furo.

A mangueira deve entrar no primeiro furo da tampa da segunda garrafa e ir até o fundo da mesma. Coloque no outro furo uma mangueira que não deve entrar mais que 2cm. Coloque na segunda garrafa um pouco de água, o suficiente para cobrir uns 5 cm do tubo que vai até o fundo. A mangueira que entra no segundo furo deverá ir até o aquário, e se conectar á torre bomba submersa propiciando que o CO2 seja misturado a água do aquário.

A segunda garrafa tem dois objetivos evitar que uma possível espuma que venha a se formar na primeira garrafa caia no aquário, e possibilitar a contagem das borbulhas. Algumas pessoas utilizam para dissolver o CO2 uma pedra porosa, e controlam a dosagem de CO2 pela profundidade da pedra dentro do aquário.

A garrafa que contém a solução deve ser trocada antes que o CO2 pare de ser produzido, ou diminua muito, por isso a necessidade de se controlar o borbulha na segunda garrafa. Esse cuidado e importante para se evitar variações maiores de PH. Estou trocando a minha a cada duas semanas.

Um controle mais preciso do CO2 pode ser feito cruzando o PH com o KH(dureza carbonata) seguindo a tabela abaixo. O efeito do CO2 sobre o PH se deve a produção em pequena quantidade do acido carbônico. Deve-se tomar cuidado pois a variação do PH em função do acido carbônico e do KH e rápida, e variações acima de 0,5 em intervalos inferiores a 10 horas são prejudiciais aos peixes. Recomendo que se não tiver muita experiência em controlar o PH do aquário tenha cuidado ao inserir o CO2.

Cuidados:
Nunca mantenha uma garrafa contendo a mistura totalmente tampada pois ela pode explodir, seguindo o esquema acima não existe esse perigo já que o gás tem por onde escapar.

Ao iniciar a fertilização com o CO2 há uma baixa significativa do PH, para que isso não seja prejudicial aos peixes, deve-se começar a introdução do CO2 bem lentamente. Estou conseguindo isso colocando uma válvula divisora na mangueira e deixando um pouco do CO2 vazar para a atmosfera nos dois primeiros, dias depois fecho totalmente essa válvula.

Os resultados até o momento têm sido muito bons, tenho percebido uma melhora geral dos aspectos das plantas, e não senti nenhum tipo de reação adversa nos peixes do meu aquário.

Conclusão:
O custo total ficou em torno de R$5,00 mostrando que não é necessário equipamentos sofisticados para se ter um aquário bonito. O que realmente é necessário é um pouquinho de trabalho e criatividade. A experiência acima descrita não é criação minha e não acredito que tenha um autor único, ela é fruto da procura de soluções baratas de inúmeros aquariofilistas pelo mundo inteiro, que amam a aquariofilia e tem pouco dinheiro no bolso. O mais importante é a constante troca de experiências para que possamos chegar a soluções ótimas para nossos aquários.

Agradecimentos, a todos os aquariofilistas pelo mundo inteiro, pela sua incessante procura por opções baratas para aquários maravilhosos.

[ad]

(Criado e Enviado por: Celestino Duarte Junior)