Como Funciona a Química da Água dos Aquários

By • Jun 22nd, 2010 • Category: Tutorials

Todos nós sabemos que água é extremamente importante para a manutenção e saúde dos peixes e plantas no aquário. Um dos fatores importantes a serem controlados é o pH, sendo que os outros são menos usados, e são aplicados normalmente quando se tenta manter espécies mais sensíveis no aquários.

Os peixes em nossos aquários são provenientes de várias partes do mundo aonde habitam águas com características químicas específicas, nas quais as espécies evoluiram ao longo dos tempos, e para as quais estão adaptadas. É necessário conhecer um pouco as necessidades das espécies que nós queremos criar, para dar aos peixes um habitat com condições semelhantes ao seu ambiente de origem.

Nesse tópico vou explicar de uma maneira simples alguns conceitos químicos usados em aquariofilia. A idéia aqui é dar ao aquarista uma base para que ele possa adaptar seu aquário melhor as exigências das espécies escolhidas, e também para escolher espécies compatíveis para habitar um aquário comunitário.

Para que os peixes mantenham o seu meio interno estável, eles estão continuamente fazendo trocas com o meio externo (a água do ambiente) através de absorção, secreção e excreção. Condições incorretas da água vão afetar as trocas de nutrientes e produtos de excreção através da membrana celular e podem afetar a fertilidade, o funcionamento de orgãoes internos e o crescimento, causando prejuízo a saúde dos peixes.

pH

O pH nos diz se a água é neutra, ácida ou básica (alcalina) e em que grau. A molécula de água H2O se dissocia em H+ e OH-, que reagem com outros componentes dissolvidos na água, podendo deixar H+ ou OH- em excesso na água. Quando o excesso é de H+ a água é dita ácida, quando é de OH- a água é básica, e quando os dois estão em proporções iguais, temos uma água neutra. A escala usada para medir o pH é logarítmica e vai de 0 a 14, sendo 7 o valor da água neutra. Os valores inferiores a 7 são ácidos e os superiores alcalinos.

Como a escala é logarítmica, um pH de 5 indica uma água 10 vezes mais ácida que um pH de 6. Sendo assim, percebe-se que uma pequena variação no valor do pH causa uma grande variação nas características químicas da água, que vai ser sentida pelos peixes. Por isso não devem ser feitas mudanças bruscas no valor de pH da água (com adição de produtos com essa finalidade). O ideal é não mudar o pH mais de 0,3 pontos por dia, para que os peixes tenham tempo de se adaptar as novas condições.

A maioria das espécies de peixes é proviente de ambientes com condições definidas de pH, que devem ser imitadas em nossos aquários. Por exemplo, peixes de água ácida devem ser mantidos em água ácida, com outros peixes que também tenham preferência por água ácida.

Dureza (general hardness – GH)

A dureza é a medida de íons cálcio (Ca++) e magnésio (Mg++) na água. A água dura é frequentemente proveniente de aquíferos de pedra calcárea, ricos em CaCO3.

A maioria dos testes aquarísticos que medem esse parâmetro dão o resultado em unidades de CaCO3, o que significa que a dureza é equivalente a esse tanto de CaCO3 na água, mas não significa que ela é obrigatoriamente proveniente de CaCO3. A forma mais comum de expressar a dureza é através de “graus de dureza” (dH – degrees hardness). Cada grau de dureza é equivalente a 10 mg de óxido de cálcio (CaO) por litro de água.

O conceito de dureza é importante para a manutenção de espécies mais sensíveis e exigentes quanto À qualidade da água, como os acarás-disco, que devem ser mantidos preferencialmente em água mole, e os ciclídeos africanos, que são originados de habitats de águas bem duras.

Dureza – dH ppm de CaCO3 tipo da água
0 – 4 0 – 70 muito mole
4 – 8 70 – 140 mole
8 – 12 140 – 210 levemente dura
12 – 18 210 – 320 dura
18 – 30 320 – 530 muito dura

Geralmente, a água mole é ácida, enquanto que a água dura é alcalina, mas essa relação não é obrigatória.

Dureza Carbonada – KH (tamponamento)

É a medida de ions bicarbonato (HCO3-) e carbonato (CO3–) na água. Como os testes de KH não conseguem ser exclusivos aos ions carbonato e bicarbonato, eles medem na verdade a alcalinidade da água, que é principalmente devida à presença desses ions no aquário de água doce.
A alcalinidade é a medida da capacidade tamponante total de ácido, ou seja, de todos os anions que podem se ligar a ions H+ livres na água, impedindo assim a queda do pH. No aquário de água doce, os termos “dureza carbonada”, “capacidade tamponante” e “alcalinidade” são usados como sendo sinônimos.
Quando o aquário tem alguma capacidade tamponante carbonada, os ions bicarbonato irão se combinar com o excesso de ions hidrogênio para formar ácido carbônico (H2CO3) que lentamente se dissociará em CO2 e H2O.

Ao longo do tempo, a medida que os ions carbonados são usados, a capacidade tamponante irá diminuir, e baixas mais acentuadas do pH serão notadas.

Leave Comment